09
dez
2020
Safra 2020/2021 terá ainda mais novidades

De olho nas demandas do mercado das diferentes regiões de atuação da Fundação Meridional, o programa de melhoramento passou a concentrar esforços na obtenção de genótipos com características mais específicas e que trouxessem opções produtivas e inovadoras aos sojicultores. Assim, o leque de cultivares se ampliou e fortaleceu com cultivares diferenciadas e que serão lançadas na safra 20/21. Serão quatro novas variedades: BRS 537e BRS 573, além de BRS 1054IPRO e BRS 539, que destacaremos a seguir.

BRS 1054IPRO

A BRS 1054IPRO é um material super-precoce com GM 5.4, específico para a MR 1 - Região sul e sudoeste do Paraná, Santa Catarina e sul de São Paulo. Nos ensaios da VCU e em áreas pré-comerciais, essa variedade mostrou produtividade elevada, ficando inclusive acima de padrões muito fortes, indicados para região. “É um material que, para as condições da MR 1, pode ser plantado antecipadamente, pois possui um bom crescimento”, explica e acrescenta Carlos Lasaro, referindo-se ao fato de que pode ser plantado já no final de setembro e início de outubro.

A Fundação Meridional, junto com a Embrapa, vai promover um expressivo número de áreas pré-comerciais para comprovar em áreas de produtores de referência, o grande potencial que a pesquisa já mostrou. “É um material que tem capacidade de produção acima de 90 sacos por hectare, especificamente desenvolvido para essa região mais alta e de clima mais ameno”, destaca o pesquisador.

Ela possui ótima resistência à podridão-radicular de Phytophthora, que para a MR 1 é mais importante ainda, pois este fungo ocorre com maior frequência nos solos dessa região. “É um material que pode ser utilizado sem medo de ter algum, problema de morte de planta por esse motivo”, explicou.

Quem plantou, aprovou

O engenheiro agrônomo Luiz Tarcísio Behm, de Pato Branco-PR, conduz ensaios de VCU na região e já está  testando a variedade BRS 1054IPRO há duas safras, desde quando ainda estava como linhagem. “Realmente é um material que apresentou uma performance muito boa em relação a todos os aspectos agronômicos. Ele fica bem de pé, não acama e é muito produtivo”, constata. De acordo com Behm, essa é uma variedade que também se diferenciou em relação ao bom comportamento em condições de estresse hídrico.

Segundo Behm, os agricultores de referência, que plantaram áreas pré-comerciais e colaboraram na avaliação do material antes de seu lançamento, também aprovaram com louvor essa variedade. “A gente está de fato acreditando que teremos uma excelente contribuição dentro das características de soja precoce”, explica Luiz. Ele destaca que existe uma demanda específica na MR 1 por esse tipo agronômico. “São cultivares que o agricultor consegue plantar em uma época ideal e ainda assim permitem fazer uma segunda safra, que é um dos grandes objetivos da maioria dos produtores da região”.

“Por essas muitas razões, estamos muito felizes em participar, junto com a Fundação Meridional e com a Embrapa, do lançamento da BRS 1054IPRO. Ao meu ver é uma alternativa excelente e acreditamos muito em toda a potencialidade que ela tem”, comenta o especialista. Uma característica interessante que essa variedade apresenta em relação aos principais concorrentes é que ela permite fazer um plantio mais antecipado. “Nós comparamos com outras variedades do mesmo padrão e ela foi bem superior. Alcançou patamares de rendimento realmente surpreendentes”, conclui Behm, que também realiza as ações de desenvolvimento de mercado em toda região.

BRS 539

Muito além de trazer uma variedade de soja convencional, precoce (GM 6.1), indicada para MR 1 e MR 2, o lançamento desta nova cultivar, da parceria da Embrapa com a Fundação Meridional, estabelece um marco histórico em inovação do melhoramento genético de soja. Isto porque a BRS 539 é a primeira variedade que tem a incorporação da Tecnologia Block e da Tecnologia Shield no mesmo material. “Nós tivemos a grata satisfação de ter uma cultivar que agregou essas duas tecnologias simultaneamente”, disse o pesquisador e melhorista, Carlos Lasaro Melo.

Resultados do grande esforço da pesquisa, a Tecnologia Block, como já citamos, confere tolerância diferenciada ao complexo de percevejos e a Tecnologia Shield promove a resistência à ferrugem. Esta genética de vanguarda desenvolvida pela Embrapa, em parceria com a Fundação Meridional,  certamente contribuirá de forma expressiva no manejo integrado de pragas e doenças, resultando em sustentabilidade do sistema produtivo e em rentabilidade para o agricultor!

 

Fonte: Informativo Meridional Ed. 74

Volte para a Listagem