24
fev
2021
PREVISÃO DO TEMPO: frente fria avança sobre o Sul do Brasil

Nesta quarta-feira (24.02) haverá um avanço da frente fria ao sul do país, mesmo que de forma oceânica, provocará instabilidades significativas em algumas localidades. Já na região centro norte, a grande quantidade de umidade e o forte calor são os fatores que mantêm as condições para os temporais. 

A tendência para a quinta-feira (25/02), com o estabelecimento da massa de ar seco, a região Sul do país continuará com o tempo estável no RS, e no centro-oeste de SC e do PR. Mas ainda permanecem as condições de chuva no leste de SC e do PR devido ao fluxo de umidade promovido pela frente fria que já estará afastada do continente.Além disso, há indicativos para a origem de mais um episódio de ZCAS, que vai pode provocar chuvas desde o sudeste do AM até o ES. Até durante o final de semana (27 e 28/02), não ocorrerão mudanças significativas no padrão da circulação e o destaque será para as áreas que estarão sob influência da ZCAS, onde poderão ocorrer pancadas de chuvas intensas e gerar acumulados significativos de precipitação em alguns pontos entre o sul da Região Norte, MT, GO e entre MG e ES.

Região Norte
Em todos os estados da região norte, há chances para pancadas de chuvas. Essa condição é devido ao forte calor e à grande quantidade de umidade disponível na atmosfera. Desta forma, na faixa oeste, como nos estados do AC, RO e AM é esperado acumulados significativos que podem ser pontualmente fortes, na ordem dos 30 mm. Já no Norte do PA e AP também há condições para chuvas fortes, principalmente, devido à atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), assim, os maiores acumulados são esperados no norte do AP. No estado do TO, além do calor e umidade, instabilidades nas partes mais altas da atmosfera contribuem para formação dos temporais.

Região Nordeste
De maneira geral, as chuvas terão uma boa distribuição entre os estados, porém os maiores acumulados ficarão entre o MA, PI, CE, oeste de PB, oeste de PE e oeste da BA. Essas chuvas estão sendo provocadas devido ao posicionamento da ZCIT e de instabilidades de altitude (ventos intensificados a cerca de 10 km acima da superfície). Com esses fatores, as chuvas podem ser pontualmente fortes entre o CE e PE, e entre o MA e PI. Já nas demais regiões também há chances para chuvas, contudo, de forma fraca e passageira.

Região Centro-Oeste
O tempo seguirá com a condição característica do verão, onde o calor vai provocar boa parte das pancadas de chuvas. Existe a possibilidade para estas pancadas acontecerem em todos os estados da região, entretanto no norte do MT e nas grandes regiões de Vão do Paranã e na Chapada dos Veadeiros no norte do GO essas chuvas podem ser localmente fortes. Já no estado do MS as chuvas serão mais isoladas e mal distribuídas, provocadas principalmente pelo calor.

Região Sudeste
Um corredor de umidade sobre o norte do estado de MG e ES mantém o tempo instável nessas regiões, com possibilidade para acumulados significativos ao norte de MG, principalmente. Ao passo que, no centro-sul de MG, SP e RJ o tempo fica com uma condição característica de verão, com chances para a formação de temporais entre a tarde e noite que poderão ser fortes em algumas localidades. Isso devido ao calor diurno e também a aproximação da frente fria que está no oceano, condicionando a atmosfera mais instável, favorecendo a formação desses temporais. No entanto, esta frente fria não avança de forma significativa no continente, ou seja, a atuação do sistema será de forma indireta.   

Região Sul
A frente fria, mesmo que posicionada no oceano, ajuda a alinhar um grande fluxo de umidade sobre parte dos três estados do sul, de maneira que, o tempo terá condições para eventos significativos. Assim, os temporais poderão ser acompanhados de raios, vendavais e potencial para queda de granizo em grande parte do oeste, Vale do Itajaí e Grande Florianópolis em SC; na grande região do Noroeste Rio-Grandense no RS; e na região Metropolitana de Curitiba ao leste do PR. Apesar da condição de temporais nas regiões mencionadas, ao sul do RS a influência da massa de ar seco associada a alta pressão na retaguarda da frente fria, vai manter o tempo mais estável entre a região de Uruguaiana à Pelotas.

Fonte: Agrolink

Volte para a Listagem