02
out
2018
Plantio da soja se inicia em algumas regiões

Áreas de instabilidade associadas a presença de uma frente fria no Sul mantêm o tempo bastante instável em grande parte da Região. Com isso é possibilitado que pancadas de chuva, mesmo que de forma irregular, continuem a ocorrer. Muitos produtores continuam a avançar com o plantio da soja em Rondônia, em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Paraná. Já em Goiás, São Paulo e em Minas Gerais, onde o vazio sanitário terminou no último dia de setembro, muitos produtores irão iniciar o plantio da oleaginosa já nesta semana, uma vez que diversas áreas já apresentam volumes de chuva acumulada, superiores a 80 milímetros.

Mesmo com este padrão meteorológico, ainda não podemos falar que o regime de chuva já está totalmente consolidado no Brasil, pelo contrário. As precipitações irão ocorrer ao longo de toda essa 1ª quinzena de outubro, ainda na forma de pancadas irregulares. Em diversas microrregiões ainda ocorrerá uma ausência e baixíssimos volumes de chuva. No entanto, é fato que diferente do que ocorreu em 2017, em que houve chuva na virada de setembro para outubro e depois um grande veranico, com a chuva só retornando no final do mês de outubro, esse ano será bem diferente.

Condições das lavouras

O alerta de hoje chama a total atenção dos produtores de soja, que mesmo com previsão de chuva é necessário tomar cuidado, pois não é previsto que ocorra chuva frequente nos próximos dias. Isto é, pode ser registrado chuva em seus talhões, mas não é certeza que ocorra novas precipitações, novamente sobre as mesmas áreas.

Para a cultura da cana-de-açúcar, a instabilidade irá ocorrer de forma um pouco mais generalizada, principalmente em São Paulo, em que irá atrapalhar o pleno andamento da colheita. Entretanto, essas precipitações irão beneficiar a manutenção da umidade do solo e garantir que as condições sejam razoáveis ao desenvolvimento dos canaviais, que irão ser colhidos ao longo de 2019.

Nas áreas cafeeiras de São Paulo, norte do Paraná e sul de Minas Gerais, o mesmo ocorre. O problema é nas regiões do triângulo e do cerrado mineiro, em que a chuva está muito irregular. Com isso, já há indícios de algumas perdas no pegamento da florada. Mas ainda é muito cedo para fazer qualquer diagnostico de prejuízo ao setor.

Para os produtores de arroz da metade sul do Rio Grande do Sul, a instabilidade que está sobre a região desde a semana passada, tem inviabilizado não só o plantio, mas todas as atividades de campo. Além disso, em muitas regiões, os volumes de chuva estão extremamente elevados, com registros de fortes temporais e prejuízos tanto no campo quanto nos meios urbanos.

Para os próximos dias, há previsão de que ocorra chuva forte em boa parte da região, mantendo as condições desfavoráveis ao plantio do arroz. Além disso, os produtores de trigo também devem se preocupar com a chuva que ocorre em suas lavouras, já que os volumes acumulados poderão ser superiores aos 50 milímetros. 

Fonte: Agrolink

 

 

Volte para a Listagem