28
fev
2020
Paraná deve produzir 24,1 milhões de toneladas de grãos

Um relatório divulgado pelo Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento do Paraná, aponta que o Estado deverá registrar um incremento na produção de grãos na safra 2019/2020. Conforme os dados apresentados pelo relatório, a soja deverá passar das 19,7 milhões de toneladas colhidas na safra passada para 20,4 milhões de toneladas nesta safra. 

Se o número se confirmar, o montante será recorde para a cultura no Estado. O maior volume de produção já registrado no Paraná foi de 19,9 milhões de toneladas na safra 2016/2017. Atualmente, 22% dos 5,5 milhões de hectares plantados da cultura já estão colhidos. Quanto aos preços, o valor médio da saca de 60 kg era comercializado a R$ 77 nesta semana, um incremento de 12% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a saca de soja era vendida a R$ 69, em média. 

Além da oleaginosa, o milho e o feijão também deverão registrar incremento. O milho deverá ter um aumento moderado, passando de 3,2 milhões de toneladas para 3,3 milhões de toneladas. A primeira safra do milho já conta com aproximadamente 80 mil hectares, dos 348 mil plantados no Estado, colhidos. O aumento de produção acontece mesmo com redução de 3% da área plantada nesta safra primavera-verão. 

Já quanto ao plantio da segunda safra de milho, a estimativa do Deral é que o índice alcançou cerca de 32% nesta última semana de fevereiro. O plantio do milho acontece logo após a colheita da soja. Para a safra verão-outono de milho são estimados que 2,2 milhões de hectares sejam destinados para a cultura, com previsão de produção acima das 12 milhões de toneladas. 

Em relação aos preços, nesta semana os valores estavam na casa dos R$ 39 pagos pela saca de 60 kg, valor 30% acima dos preços praticados no mesmo período do ano passado no Estado paranaense. 

Quanto ao feijão, a primeira safra do grão deve ter sua colheita finalizada nesta semana. No comparativo com o mesmo período do ano passado, houve uma redução de 6% na área plantada, mas incremento de produtividade de 29%, o que representa um acréscimo de 79 mil toneladas. Além disso, a produtividade de 2.096 kg/ha é a maior dos últimos 13 anos na primeira safra. “Este é o primeiro ano em que não registramos perdas, e a safra está 4% acima do potencial”, diz o engenheiro agrônomo do Deral, Carlos Alberto Salvador. 

A segunda safra do feijão no Paraná está 72% plantada, segundo relatório do Deral. Serão destinados pouco mais de 223 mil hectares para a cultura, uma redução de 10% no comparativo com a mesma safra do ano passado. Em relação aos preços do feijão, a saca de 60 kg do feijão-cores era vendida a R$ 169 nesta semana, queda de 9% no comparativo com janeiro. Já a saca de feijão-preto era comercializada por R$ 122 nesta semana no Estado paranaense. 

Fonte: Agrolink

Volte para a Listagem