28
out
2021
Instabilidades no Nordeste e altas temperaturas no Sul

Nesta quinta-feira (28/10) o corredor de umidade que sai da região norte em direção à costa do sudeste, mantém o padrão de instabilidades na faixa noroeste/sudeste do país. As chuvas poderão ser na forma de fortes temporais ao sul do centro-oeste com chances para o registro de granizo. As instabilidades também persistem no leste do nordeste e na metade sul do sudeste. Já na região sul, o destaque fica para o aumento gradativo das temperaturas, marcando o retorno do calor para a região. 

Para sexta-feira (29/10) as instabilidades de altitude e o avanço de uma região de baixa pressão vão contribuir para eventos extremos como granizo e ventania forte em áreas do sul de MS e do extremo oeste do PR. Sobre o norte de SP, centro e norte de MS, extremo sul de GO, do sul ao oeste e noroeste de MT, em RR, no AM, no oeste de RR e no nordeste e litoral do PA e no noroeste do MA são esperados eventos de chuva intensa, associados ao calor e a maior quantidade de umidade disponível na atmosfera. Os acumulados de chuva poderão superar a marca dos 50 mm em grande parte de SP, nos litorais norte de SC e do PR, do sul ao triângulo de MG e no sul do RJ, além do litoral da BA e no sul de SE. 

 

Saiba como fica o tempo em cada região: 

Região Norte
As instabilidades retornam de maneira mais abrangente sobre o estado do AC, isso devido a um maior aquecimento na região o que favorece o levantamento do ar e a formação de nuvens carregadas. Este padrão também provocará influência no tempo sobre o estado de RO e a tendência indica chuvas com acumulados próximos dos 20 mm no decorrer do dia sobre os dois estados. Por outro lado, as chuvas continuam bem distribuídas sobre o estado do AM e RR, porém com previsão de chuvas menos volumosas do que as registradas no dia anterior. Já sobre o PA e TO, a tendência é de que as chuvas fiquem mais irregulares e com baixos volumes. No AP o predomínio é de tempo firme em todo o período do dia. 

Região Nordeste
As instabilidades persistem sobre algumas áreas da região, como é o caso do MA e leste do nordeste. As chuvas no MA poderão ser localmente fortes na forma de temporais e gerar acumulados próximos dos 15 mm no decorrer do dia, especialmente na metade oeste do estado. Na metade leste da BA até o litoral de PE as chuvas também podem ocorrer de forma fraca e pontual a qualquer momento do dia, devido à maior influência dos ventos oceânicos, provocando acumulados na ordem dos 10 mm no período. O tempo fica seco entre o oeste da BA, metade oeste de PE, sul do PI e sul do MA, nas demais áreas as instabilidades poderão provocar chuvas fracas e isoladas. 

Região Centro-Oeste 
O corredor de umidade proveniente da Amazônia, continua atuando sobre grande parte da região centro-oeste. No entanto, a influência de uma massa de ar mais seco, desloca as instabilidades para o sudoeste da região, mantendo o tempo firme na metade norte do GO e DF, e diminuindo as condições para chuvas no nordeste do MT. No entanto, na metade oeste e sul do MT, sul do GO e em todo o MS, as chuvas serão bem distribuídas podendo ocorrer na forma de temporais, sobretudo entre o final da tarde e início da noite. Ao sul do MS, esses temporais poderão ser intensos e ocasionar algum episódio de vendaval e queda de granizo. Os maiores volumes estão previstos para o sul do MT, podendo se aproximar dos 30 mm no final do dia.

Região Sudeste
A presença de uma região de baixa pressão e o intenso fluxo de umidade proveniente da região norte, favorecem a formação de nuvens carregadas sobre o estado de SP e sul de MG. Essas chuvas poderão ser fortes, provocando acumulados expressivos em um curto período de tempo, especialmente no triângulo e sul mineiro, e na metade norte do estado de SP.  Outra região com potencial para chuvas volumosas é no Vale do Ribeira, ao sul de SP, devido ao suporte de umidade do mar, sendo nesta região a área com os maiores volumes previstos - próximos dos 30 mm. Sobre o RJ e ES também há condições para chuvas, mas de maneira irregular e mal distribuída, mantendo os maiores volumes na casa dos 10 mm no sul do RJ. Na metade norte de MG, o predomínio será de tempo seco e temperaturas mais elevadas. 

Região Sul
A tendência para a região sul aponta o avanço das condições para chuvas até o norte do RS. No entanto, as instabilidades serão fracas, pontuais e passageiras, e na maioria das localidades será expressa em uma maior variação de nebulosidade. Contudo, ao norte do PR, por conta da proximidade com as instabilidades do estado de SP, as condições para chuvas são maiores, mas ainda sim sem promover volumes significativos. As chuvas mais volumosas poderão ocorrer no litoral paranaense e litoral norte de SC, isso devido à influência dos ventos do quadrante leste, que trazem a umidade do oceano para a costa. Essas chuvas poderão se aproximar dos 15 mm nos pontos de maiores valores. Outro destaque para a região sul é o aumento do calor, especialmente no RS, onde os termômetros poderão se aproximar dos 35°C no oeste do estado. 

Fonte: Agrolink

Volte para a Listagem